Monday, October 06, 2008

Você

Na única manhã azul, de um mês quase todo cinza, o amor que eu não senti foi embora. E a profecia dissimulada nos arranha-céus de onde ninguém mais salta se calou. Os carros não atropelaram, os loucos não estrangularam ninguém. A contra-história do mundo se fez na paz de um dia inteiro sem guerra. O conto não se contou em todos os seus percalços, e o que era estranho nem teve tempo de se acostumar. Foi o avesso de tudo, um silêncio feito da pura expectativa do som. Mas a voz não disse nada. O mar não se revoltou, nem trouxe segredos com ele. De longe, de perto, tão rápido, você não aconteceu.

4 comments:

Raphael Silveira (jornalista) said...

Olá, Roberto Vitorino,

Sou Raphael Silveira, repórter do Jornal Diário da Manhã, de Goiânia-GO e estou interessado em redigir uma matéria sobre sua participação no filme "Última Parada - 174", de Bruno Barreto. Sei que você é goiano e, além disso, quero abordar sua trajetória no cinema, desde o início até hoje.
Favor entrar em contato pelo e-mail: raphaelramossilveira@yahoo.com.br

Obrigado.

k said...

ah, hombre...

naturline said...

Parabéns pelo seu blog e postar suas fotos fantásticas que eu gostava muito de perder o seu blog. muito obrigado.
Receba uma saudação cordial.
Peço desculpas pela publicidade.

ludicdreams said...

belissimo texto. forte abraço.